Mais se acelera o tempo, mais se corre em busca de si mesmo.  Sabe-se não serem poucas as dificuldades, mormente nos dias atuais.  Sabe-se também serem muitas, as angústias e preocupações.

Vencer é uma arte, e nem sempre conseguimos dar as tão almejadas cores às nossas telas.

Quais motivos se encerrarão nas profundezas da mente?  Que razões se esconderão no íntimo dos corações?

A vida é singular, os motivos sempre se nos apresentam no plural.

Variados objetivos fazem parte de cada individualidade, e cada unicidade procura por caminhos os mais variados, que levarão às mais diferentes metas. Os objetivos alcançados por uns, não são os que satisfazem a outros.  E nesse emaranhado de sentimentos, nessa busca desenfreada pelo momento da chegada, esquecemos, muitas vezes, de usufruir o sentido da partida, de aproveitar o significado da caminhada…

O alcançar do objetivo proposto é importante, e isso não podemos negar, pois é nele que sentiremos mais de perto o reforço da realização e a gratificação da autoestima.  Mas não devemos, porém, nunca nos esquecer de que a procura pela felicidade já é uma forma de ser feliz.  E pensar assim, fará com que as satisfações cotidianas atuem como um gerador de energias, nos impulsionando para o que queremos conquistar, aos sonhos que queremos realizar.

É necessário também estarmos atentos, à grande importância de tudo que está ao nosso redor, pois às vezes não percebemos que muito do que pensamos estar longe, está mais próximo do que imaginamos.

Devemos, portanto, sempre nos lembrar, que os momentos de tranquilidade e alegrias constantes em nosso dia a dia, se sabiamente aproveitados, terão para nós o mesmo significado, o mesmo sentido, e serão sempre sinônimos dessa igualdade, tão presentes em nossas aspirações, denominadas de felicidade e paz.

 

Geraldo Vieira de Magalhães

Psicólogo  –  CRP 08/06392

gvm.vieira@terra.com.br

Tels.:  (41)  3223-9101  –  9 9141-3141